Organização Mundial da Saúde – OMS


Organização Mundial da Saúde (OMS)

Visando alcançar o bem-estar físico, mental e social da população mundial, a Organização Mundial da Saúde (OMS) foi criada no dia 7 de abril de 1948, após uma reunião de diplomatas, na recém-criada Organização das Nações Unidas (ONU). O principal papel deste comitê é direcionar e coordenar ações acerca da saúde internacional, fornecendo a assistência técnica apropriada. Também faz parte da sua área de atuação propor convenções, acordos e regulamentos, como também recomendações acerca da saúde. Atualmente a OMS conta com mais de 7000 pessoas trabalhando para o comitê, divididos em 194 países-membros, em que se reúnem na Assembleia Mundial da Saúde, principal órgão controlador da organização e espaço em que são debatidas e decididas as suas atividades.

Tema A: OS RISCOS DA UTILIZAÇÃO DE MEDICAMENTOS E TRATAMENTOS DE SAÚDE NÃO REGULADOS

Diariamente diversos pacientes de diferentes doenças se submetem a utilização de tratamentos e medicamentos de saúde que ainda estão em fase de testes, não possuem sua eficácia comprovada ou até mesmo são proibidos pela legislação do país, tais pessoas buscam apenas encontrar soluções para equilibrar a necessidade de tratamento do problema de saúde com a proteção e a qualidade de sua vida.  

Entretanto, o uso de medicamentos e tratamentos de saúde não regulamentados é uma problemática mundial, estima-se que 58% dos danos advindos de medicamentos, por exemplo, são oriundos de fármacos não aprovados. A discussão do tema no comitê buscará abordar as causas e consequências de tal uso, bem como o seu desdobramento âmbito político, econômico e social, também discutir sobre a questão do direito à saúde e o de escolha do indivíduo frente à proibição da utilização de certos medicamentos ou tratamentos. Além disso, deverão ser discutidos os métodos de regulamentação de medicamentos e as barreiras impostas à aceitação de determinadas substâncias, explanando as motivações para tais proibições.

Tema B: A IMPORTÂNCIA DA PROTEÇÃO DA SAÚDE MENTAL E DO COMBATE AO SUICÍDIO


A saúde mental é parte integrante da saúde e do bem-estar, como se reflete na definição de saúde na Constituição da Organização Mundial da Saúde: "A saúde é um estado de completo bem-estar físico, mental e social e não apenas a ausência de doença ou enfermidade". Nesse sentido, é papel da OMS a promoção do bem-estar mental, a proteção dos direitos humanos e o cuidado adequado de pessoas afetadas por transtornos mentais que, assim como outros fatores de risco, como dificuldades financeiras, conflitos de relacionamento e abuso de álcool e de drogas, contribuem para que o suicídio figure entre as dez mortes mais frequentes no mundo. Logo, é imprescindível a discussão acerca do suicídio como questão de saúde pública, bem como o desenvolvimento de recursos para seu combate e prevenção. Entretanto, para atingir esses objetivos é necessário o esforço contínuo dos Estados-membros no sentido de estabelecer, e efetivamente cumprir, um acordo acerca das políticas e estratégias capazes de superar os diversos desafios em torno dessa problemática. Assim, no âmbito da SONU 2017 a OMS buscará debater as questões apresentadas acima, procurando soluções e medidas eficazes que visem promover o acesso à saúde de qualidade para todos, não importando a condição em que vivem, garantindo a prevenção e o tratamento correto de doenças.

Guia de Estudos
Manual do Participante
Modelo de Documentos
Regras de Procedimento