Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura – UNESCO (Mini-SONU)


Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO)


A Organização das Nações Unidas para Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) foi fundada em  16 de novembro de 1945 de forma a responder aos desafios oriundos de um cenário assolado por duas guerras mundiais. Tendo em vista que acordos políticos e econômicos não bastam para garantir a paz, a UNESCO tem como paradigma que a paz somente pode ser alcançada por meio do fortalecimento de bases moralmente e intelectualmente humanitárias e solidárias.


Para alcançar seus objetivos, a UNESCO atua em conjunto com Estados – hoje 195 países membros e nove associados – por meio de seus principais eixos de atuação: a cooperação cientifica para o desenvolvimento sustentável, a proteção da herança e diversidade cultural, a proteção da liberdade de expressão em todos seus aspetos e, por fim, a garantia de uma educação de qualidade como um direito humano para todos as crianças do mundo, sem nenhum tipo de diferenciação de gênero, raça, religião ou língua.

Este comitê se compromete a discutir temas de relevância ímpar, fundamentais para os tempos modernos, onde os delegados tratarão de matérias complexas e desafiadoras.

Tema A: A violência de gênero no ambiente escolar e seus impactos negativos na educação

A bandeira da igualdade dos gêneros remonta ao século 18, ainda na Revolução Francesa. Desde então, a luta pela igualdade feminina cresceu e alcançou mudanças consideráveis na nossa sociedade, sendo inclusive posta na Declaração de Universal dos Direitos Humanos a igualdade entre homens e mulheres.

No entanto, apesar dos avanços, a situação feminina, em especial no ambiente escolar, é preocupante. Ainda é recorrente no ambiente acadêmico mulheres passarem por situações constrangedoras e, até mesmo, de violência. As consequências para a educação feminina são  catastróficas.

Portanto, é urgente que a UNESCO, no seu papel de garantir a igualdade de gênero e educação para todos, discuta e crie medidas eficientes para transformar a realidade de inúmeras garotas carentes de proteção no ambiente escolar.

Tema B: Liberdade intelectual e influência ideológica: os limites do papel das instituições de ensino na formação do indivíduo

A liberdade de expressão, um dos pilares da UNESCO, abrange tanto a garantia de falar sem qualquer tipo de censura, assim como a possibilidade de receber e procurar informações em qualquer meio de comunicação. Esses dois aspectos da liberdade de expressão são valores fundamentais para uma sociedade verdadeiramente democrática.

Contudo, quando a liberdade de expressão se interliga com a questão educacional, o tema torna-se extramente complexo e delicado. Até onde a educação e as instituições de ensino podem influenciar a formação do indivíduo? O que pode e o que não pode ser ensinado? Em que medida deve ser respeitada a autonomia de uma pessoa, sem que ela não tenha seu conhecimento prejudicado? Como se dá uma educação democrática? Essas são somente algumas questões que surgem nesta interseção entre os temas.

A UNESCO, sempre na defesa da liberdade de expressão e da educação de qualidade, deve discutir tais temáticas e procurar respostas para as diversas questões que podem surgir ao longo das sessões.

- Comitê de participação voltada para alunos do Ensino Médio


Guia de Estudos
Manual do Participante
Modelo de Documentos
Regras de Procedimento