As inscrições da SONU Beta estão chegando! Veja os comitês disponíveis:

CORTE DISTRITAL DE JERUSALÉM (Mini-SONU)
TEMA: Estado de Israel x Adolf Eichmann

As Cortes Distritais possuem nível intermediário dentro do sistema judiciário israelense, são tribunais de primeira instância conhecendo matéria de jurisdição geral, também podem atuar como instância recursal dos Tribunais de Magistrados. Em matéria penal, como no caso em questão, as Cortes Distritais são competentes para julgar casos em que as penas são a partir de sete anos de prisão.

Adolf Eichmann é um austríaco que se voluntariou para fazer parte do Serviço de Segurança Alemão, integrando diversos cargos dentro da máquina estatal nazista. Como chefe da Sessão de Assuntos Judeus no Departamento de Segurança de Hitler, foi acusado de ser um dos responsáveis por arquitetar a “Solução Final”, que iniciou um dos maiores genocídios da história da humanidade.

Após a queda de Führer, Eichmann fugiu das autoridades que o capturaram na Alemanha. O Estado de Israel, que conseguiu localizar Eichmann na Argentina, o levará a julgamento da Corte Distrital de Jerusalém, em 1961, pelos vários crimes contra a humanidade e contra o povo judeu.

Participe do comitê na SONU Beta 2017 e escolha​ entre acusar, defender ou julgar Adolf Eichmann na Corte Distrital de Jerusalém.

Comitê para Ensino Médio, histórico e de participação individual.


ORGANIZAÇÃO INTERNACIONAL DE POLÍCIA CRIMINAL - INTERPOL (Mini-SONU)
TEMA: O reforço à segurança e à prevenção de crimes cibernéticos

A rede mundial de computadores, ou internet, surgiu durante a Guerra Fria. Os Estados Unidos, temendo um ataque soviético às suas bases militares, desenvolveram um sistema que ainda hoje proporciona a troca e o compartilhamento de informações, além de permitir a descentralização. Entretanto, essa mesma descentralização provoca um efeito colateral: torna-se muito difícil manter o controle e a segurança dessas informações.

Desde então, a internet tem se tornado um instrumento chave na aquisição de informações privilegiadas, seja de pessoas físicas ou mesmo de Estados. Os cybercrimes se manifestam em diversas escalas: desde a aplicação de um simples golpe de phishing para roubo de senhas bancárias de um usuário comum, até o roubo de cerca de 750 mil arquivos com informações de clientes da Japan Airlines, resultado de um malware colocado nos computadores da empresa em 2014. Mesmo nações já se acusam mutuamente de crimes cibernéticos, geralmente para aquisição de vantagem econômica ou política, sendo o caso mais latente a troca de acusações entre Estados Unidos e China.


Muitos países ainda não possuem os conhecimentos necessários, nem estão adequadamente equipados para combater essa nova modalidade de crimes. Reconhecendo essa necessidade, a INTERPOL inaugurou, em 2014, um novo centro sediado em Singapura com foco exclusivo no combate a crimes cibernéticos. As atuações principais são no suporte operacional e investigativo e na inteligência e análise de dados.

Comitê para Ensino Médio de participação em dupla.


CONFERÊNCIA DAS NAÇÕES UNIDAS SOBRE COMÉRCIO E DESENVOLVIMENTO - UNCTAD TEMA: Práticas protecionistas e seus impactos no crescimento econômico e desenvolvimento

Criada em 1964, em uma tentativa de contemplar questões relacionadas aos países em desenvolvimento e o espaço que passavam a ocupar no comércio internacional, a UNCTAD é o órgão subsidiário da Assembleia Geral das Nações Unidas que lida com comércio, investimento e desenvolvimento. Seus objetivos incluem promover o desenvolvimento de países emergentes por meio do comércio internacional, oferecendo suporte para sua participação no mercado; promover integração entre comércio, preservação do meio ambiente e desenvolvimento; e analisar problemas relacionados a direito e políticas de concorrência.

Em um contexto no qual os Estados ainda recuperam suas várias economias abaladas, algumas apresentando grande queda no ritmo de crescimento, torna-se mister o diálogo internacional a fim de aumentar a integração entre os países e ajudar a desenvolver nações menores, para que a economia mundial não dependa unicamente de potências cujos mercados se encontram em situação de risco. Por isso, a UNCTAD possui extrema relevância na atual conjuntura mundial.

Em períodos de economias frágeis, muitos países buscam manter seu desenvolvimento econômico com corte de gastos e financiamento ao crédito para evitar a recessão, não se restringindo apenas à utilização de medidas internas, mas também o comércio internacional acaba por ser alvo de tais medidas.

A prática do protecionismo, apesar de muitas vezes considerada como ato de concorrência desleal pela Organização Mundial do Comércio (OMC), ainda é observada. O protecionismo se vale de restringir a entrada da concorrência internacional dentro de uma nação para que essa não tenha seu desenvolvimento prejudicado; porém, isso acaba por atravancar o progresso da nação que anteriormente exportava para aquele país sem tais entraves.

Alguns métodos utilizados, que se relacionam intrinsecamente ao tema, são as chamadas barreiras tarifárias (como tarifas para importação de produtos), as barreiras não tarifárias (por exemplo, controles de preços, normas de qualidades e especificações técnicas), a prática de dumping (venda por preço muito abaixo do valor “justo” em outros países), além da concessão de subsídios (estes visando à diminuição de preços dos produtos nacionais, estimulando sua produção e seu consumo e afetando nações exportadoras por seus produtos perderem espaço nos mercados).

Apesar de certos combates da OMC contra tais métodos, sobretudo em relação às barreiras tarifárias e aos subsídios, vários países dificultam a resolução desse enorme debate, a exemplo dos argumentos suscitados em defesa da soberania de cada Estado e do necessário controle de qualidade dos produtos que chegam às suas fronteiras.

Comitê para Ensino Superior de participação em dupla.


CONSELHO DE DIREITOS HUMANOS - CDH
TEMA: A tortura para obtenção de informações

A utilização da tortura como mecanismo investigativo - no que tange à obtenção de informações - é prática histórica presente nos mais diversos modelos de governo que se apresentaram na trajetória da evolução humana.


Os meios de tratamento cruéis já foram conhecidos na Antiguidade como "a prova das provas" ou "a mãe das provas", tamanha era a frequência de sua prática. Reflexo da recorrência desse meio é que em 1984 foi criado o CAT - Comitê contra Tortura e em 1985  a  OMCT - Organização Internacional Contra a Tortura, ambos pela ONU haja vista a latente preocupação com essa temática.

Desta forma, o Conselho de Direitos Humanos trará à tona esta pauta que, não obstante à historicidade da mesma, continua sendo a realidade de muitas nações e ainda encontra guarida nos mais variados métodos de obtenção de provas por todo o globo. É, indubitavelmente, uma questão deveras atual e inafastável ao contexto político dos direitos humanos na seara internacional.

Comitê para Ensino Superior de participação individual.


COMITÊ DE IMPRENSA INTERNACIONAL - CII
Jornais: The Telegraph (UK) Le Figaro (FR)

Há dias em que grandes decisões entram para a história. E para que o mundo tenha conhecimento dessas decisões, é necessária uma cobertura jornalística à altura. O Comitê de Imprensa Internacional da SONU funciona como mais uma forma de geração de discussão nos demais comitês, uma vez que as produções dos jornais influenciam diretamente nas atitudes dos delegados.

O CII é um comitê fixo que engloba toda a cobertura da simulação, onde estudantes de Jornalismo simulam como editores e repórteres de agências e veículos internacionais. A intenção é trazer a rotina e a vivência do jornalismo internacional para os estudantes, já que toda a produção realizada é veiculada para os demais participantes da simulação e contribui para uma experiência mais realista que gera situações concretas, como entrevistas e prazos apertados.

Na SONU-Beta 2017 serão simulados dois grandes veículos de comunicação, o jornal britânico The Telegraph e o francês Le Figaro, ambos na plataforma web.

Comitê para Ensino Superior de inscrição individual.